Seguir

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

360 Graus América do Sul - Equador

Saímos da Colômbia pela cidade de Ipiales e rumamos para a cidade de Otavalo no Equador, situada a 2500 acima do nível do mar. Esta cidade está numa região em que seus habitantes preservam a sua cultura indígena, sendo que muitos falam o idioma Kichwa que no Peru e Bolívia chamam de Quéchua(dizem que são muito parecidos). 
Em Otavalo ocorre a maior feira de artesanato da América do Sul. A cidade está distante da capital Quito a 100 km, no sentido norte, numa região de beleza única, num vale rodeado pelos vulcões Cotacachi, Imbabura e Mojanda, e ainda por cima, contendo o Lago San Pablo, um dos maiores e mais bonitos do país. Os povos Kichwas e Cayambi celebram quatro grandes festas durante o ano. Elas coincidem sempre com o solstício e equinócio. Estas festas estão estreitamente relacionadas com os ciclos agrícolas. As festividades se iniciam em setembro com o Koya Raymi, com o ritual da lua e da terra como elementos de fecundidade. No solstício de inverno festejam o Capac Rayami. No mês de março, durante o equinócio da primavera celebram o Pawkar Rayami devido a floração do milho e de outros elementos cultivados. Em junho, celebram o Inti Rayami como uma amostra de agradecimento a mãe terra e ao sol pelo amadurecimento dos frutos. Esta última é a mais extensa e pode demorar várias semanas, juntando com outras festas menores da região. 
Seguimos a Panamericana e subimos para 2800 metros acima do nível do mar até Quito, onde ficamos na parte antiga da cidade, tombada pelo Patrimônio Histórico da Humanidade. Encontramos o Sr. Luiz Ramires, recém formado na faculdade de Turismo que se prontificou a mostrar a todos os pontos histórico da cidade e ainda  nos acompanhou até a cidade da metade do mundo. Muito interessante, pois repetimos o mesmo gesto feito na cidade de Macapá no monumento da metade do mundo, onde ficamos com um pé em cada hemisfério.
Depois seguirmos para a cidade de Baños, tem esse nome em função das suas águas termais aquecidas pelos vulcões da região, sendo o mais conhecido o Vulcão Tungurahua, que no idioma Kichwa quer dizer "Pequeno Inferno". Essa cidade é lugar ideal para descansar, com muitos hoteis e também muitos passeios.
De Baños seguimos para Cuenca e Alausí onde fomos fazer o passeio de trem com destino a Riobamba na conhecida montanha Nariz del Diablo. Esse passeio, não é um passeio comum, é um passeio em que os passageiros vão em cima do trem. Muito legal, e interessantíssimo, cheio de turistas do mundo todo para fazer esse passeio. Foi muito difícil encontrarmos lugar e também tinha a dificuldade para tirar as fotos devido ao balanço do trem, e também toda hora levantava um turista, mais a paisagem e a forma com que o trem desce a montanha vale muita a pena ver. Aqui a gente viaja também pela conhecida rodovia chamada avenida dos vulcões, cercada de vulcões por todos os lados...o visual também vale a pena. Tocamos a viagem até a belíssima Guayaquil e depois para Porto Cayo e seguimos pelo litoral até Machala e saindo do Equador por Huaquillas.
O próximo Post será sobre o Perú.

Baños

Baños

Baños


Campesino

Cuenca

Saída Equador

Litoral do Equador

Peque parte da feira Otavalo

Equatoriana Típica em Otavalo

Passeio em Otavalo

Lago San Pablo

Arredores de Otavalo

Quito

Quito

Quito

Quito

Linha Equador

Trem Nariz del Diablo

Trem Nariz del Diablo

Trem Nariz del Diablo

Trem Nariz del Diablo

Trem Nariz del Diablo

Nenhum comentário:

Postar um comentário