Seguir

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

360 Graus América do Sul - Peru


Depois de muitos incômodos devido à greve na saída na cidade de Huaquillas há mais de 20 dias, rumamos para outra fronteira na cidade de Macará que também passa a rodovia Pan-americana. Nesta fronteira foram muito simples os trâmites, mas com a diferença no tratamento, feito com muita cordialidade.
Bem seguimos para a cidade Chiclayo e Trujillo, cidade com 509 mil habitantes e está no nível do mar, próximo 13 km de distância. Mas, o deserto faz parte da paisagem. Olhando para o céu há sempre nebulosidade, devido aos ventos que sopram do deserto levando as areias. As construções são normalmente baixas e sendo rebocadas somente na parte da frente. As laterais e atrás ficam os tijolos, dando uma coloração da areia do deserto. Nesta região chove muito pouco.
Por volta do século VI esta região se converteu no centro de poder da cultura Lambayeque e posteriormente a cultura Chimú que construiu uma importante cidadela de nome Chan-Chan que fica aos arredores de Trujillo. Visitamos este sítio arqueológico, considerado a maior cidade de barro da América Pré-hispânica. Nela abrigava em torno de 100 mil pessoas, possuindo várias praças, reservatório de água, silos para guardarem a produção agrícola, templos para adoração, vários canais se interligando, parecendo labirinto com muros de até 10 metros de altura. Impressionante a forma de construção. Vale a pena visitar.
Chegamos à cidade de Santa, resolvemos fazer o trajeto pelas cordilheiras, pois estava muito chato ir pela região costeira. Era o mar, o asfalto no meio e o deserto no outro lado. É bonito no começo, mas... então, seguimos o trajeto entre a cordilheira Negra(sem gelo) e Cordilheira branca(com gelo), acompanhando o Rio Santa. Este trajeto é conhecido como Callejón de Huaylas. Percorremos 72 km de asfalto até a pequena cidade de Chiquicara e dali 58 km de uma estrada sinuosa e estreita a qual levamos em torno de 3 horas para percorrê-la até o entroncamento. Neste entroncamento fica o Pueblo Yangaypampa onde continuamos a nossa peregrinação, subindo e descendo serra, com precipícios aterrorizantes. São 39 túneis rústicos, todos feitos para somente um carro de cada vez, e toda vez que se vai entrar no túnel tem que buzinar para quem escutar parar, se não tem voltar de marcha ré. Abaixo, o belo Rio Santa nos acompanhando, com muitas cachoeiras e até Hidroelétrica. Chegamos à cidade de Caraz, o Cânion Del Pato onde iremos visitar a Laguna de Parón. Demoramos mais de duas horas subindo a cordilheira para chegarmos a Laguna Parón a 4.200 metros de altitude, com sua água de azul turquesa. Depois seguimos e fomos visitar o Parque Nacional Huascarón, muito bacana e também dá pra avistar os Picos Huascarón e Huandoy cobertos de neve. Depois fomos até a Laguna de Llanganuco, com coloração da agua espetacular e em volta tem muitas mesas para fazer pic-nic.
Visitamos o capital Lima, com seus pontos turísticos e depois rumamos para Cusco e Machu Picchu e no caminho estava Nasca.
Antes de chegar a Nasca, no km 420 tem um mirante onde se pode ter uma pequena noção destas espetaculares figuras gravadas nas areias do deserto, entre os anos 200 a 500 D.C., segundo estudos realizados. No mesmo local há o museu Maria Reiche, em homenagem a pesquisadora alemã que teve um papel fundamental nos estudos das Linhas de Nasca. Em Nasca fizemos o voo sobre as Linhas de Nasca.
Depois de 100 km de viagem, saímos de uma altitude de 588 msnm para 4.330 msnm, na Reserva Nacional Pampa Galeras Bárbara D’ Achille. Nesta altitude tem um passo conhecido como Abra Condorcencca, muito lindo com muitos animais Vicunha e Alpaca. Em cima da montanha é plano, tem muitos lagos e também muito frio. Seguindo, passamos por outro passo de nome Occe Occe a 4.400 msnm rumo a Cusco, cidade conhecida como a “casa e morada dos Deuses”. É uma das mais belas cidades da cordilheira peruana, também conhecida como a capital arqueológica da América, com muitos museus, igrejas, sendo muito delas na própria praça central.
Ficamos nesta região duas semanas, sendo o Natal e também o Ano Novo. Olha, no ano novo os turistas correm em volta da praça central, na virada do ano, é muita gente, impressionante, como não entendíamos o que estava acontecendo, fomos perguntar, a resposta é: "reza a lenda, que na virada do ano se você correr em volta da praça, vai passar o resto do ano viajando”. Bem, na dúvida fomos dar a nossa voltinha também...
Optamos para ir para Machu Picchu, seguindo de carro até a cidade de Ollataytambo, deixar o carro no estacionamento e pegar o trem turístico da noite até a cidade de Águas Callientes. Muito interessante esse trajeto do trem, na volta conseguimos passagem pra vir de dia. Lindo!!!!
Visitamos o parque em dois dias. Sendo no primeiro, fomos até a entrada do parque para quem vem das trilhas e tem a visão espetacular das montanhas. Ali sentamos e fizemos um belo pic-nic. Andamos por todos os cantos de Machu Picchu (montanha velha) e no dia seguinte a missão será visitar a Huayna Picchu (montanha jovem).
Bem o nosso dia era simples, pegávamos o ônibus até a entrada do parque e na volta vínhamos pelas trilhas, chegávamos muito cansados em Aguas Calientes. Muito legal fazer dessa forma.
A subida da Huayna Picchu tem certa dificuldade, pois beirava a abismo, tínhamos que segurar por cordas, enfim com muita paciência, cuidado e determinação chegamos em cima da montanha onde podemos observar as belezas de Machu Picchu. Vale a pela subir. Esta permite subir se chegar ao máximo até às 13 horas no portão. O parque fecha às 17 horas.
Valeu muito a pena fazer estas visitas e de volta a Cusco, fomos visitar o Vale Sagrado, vale muito a pena visitar. É melhor e mais em conta comprar um passaporte que dá direito às visitações de museus e parques.
Saímos de Cusco rumo a Puno cidade as margens do Lago Titicaca e lá fizemos um passeio de barco até as Ilhas flutuantes de Uros, construídas com juncos, muito interessante.
Daqui em diante para Bolívia que continuaremos no próximo post.
Alpaca


Ruinas de Chan-Chan

Caraz

Caraz

Caraz

Ruinas de Chan-Chan

Ruinas de Chan-Chan

Cusco

Cusco

Cusco

Cusco

Lima

Lima

Lima

Lima

Lima

Machu Picchu

Machu Picchu

Machu Picchu

Machu Picchu

Machu Picchu

Machu Picchu

Nasca

Caminho de Nasca

Ollantaytambo

Ollantaytambo

Huascarán

Pan-Americana Norte

Puente Calgante

Ilha de Uros

Ilha de Uros

Ilha de Uros

Ilha de Uros

Ilha de Uros

Recuay

Recuay

Estrada Rio Santa

Estrada Rio Santa

Estrada Rio Santa

Estrada Rio Santa

Vicunha

Parque Huascarán

Nenhum comentário:

Postar um comentário